Este ano oferece ao teu filho a liberdade, o poder e a responsabilidade de ser ele a fazer as suas compras de Natal.

O Natal é uma altura de beleza e magia, uma excelente oportunidade para estimular valores como a fraternidade, a gratidão o amor e a partilha. Mas o Natal é também a altura do ano onde se contraem muitas dívidas devido às compras de Natal. E se ensinar o valor da liberdade e da responsabilidade aos teus filhos também evitasse estas dívidas? Este Natal oferece ao teu filho liberdade e responsabilidade e muito mais paz e alivio financeiro a toda a familia.

A esmagadora maioria das pessoas não tem educação financeira. Eis aqui alguns exemplos:

– Usam a palavra “investimento” sem ter a mínima noção do que “investimento” realmente significa, pois acham que um telefone, um fato, um carro, ou até mesmo a casa onde vivem é um investimento.

– Não sabem o seu “valor/hora”.

– Estão entupidos em dívidas de créditos de consumo e têm zero créditos de investimento. Toma nota que se estás a pagar um empréstimo relativo à casa onde vives isso é um crédito de consumo apesar do teu Gestor de Conta e dos média te iludirem do contrário.

– Trabalham por dinheiro em vez de colocar o dinheiro a trabalhar para eles.

– Não têm noção clara dos seus custos.

– Perdem dinheiro com o ou os cartões de crédito em vez de ganharem dinheiro com os cartões de crédito. 

– Não fazem um orçamento familiar, muito menos um orçamento de investimento. Não fazem orçamento, ponto.

– Acreditam que o Gestor de Conta do seu banco é a melhor pessoa para os aconselhar a investir as suas poupanças.

Tendo consciência que a maioria das pessoas acha que o que acabei de escrever não faz muito sentido, deixo aqui a milha sugestão de presente de Natal do teu filho para ti:

Livro: «Pai Rico Pai Pobre» – Robert T. Kiyosaki

Se estás a pensar que é uma grande seca receber um livro no Natal, então gostava que me ensinasses a convencer um filho que ler e estudar é importante, pois eu nos meus limitados recursos, só sei educar a partir do exemplo.

Ok, agora que já resolvemos este assunto e o teu filho vai oferecer-te este livro que irá provocar profundas alterações na tua forma de pensar e consequentemente na forma como irás educar o teu filho relativamente ao dinheiro, a minha proposta é que ofereças ao teu filho um presente adicional.

Proponho-te que adicionalmente ao que ele irá receber lhe ofereças também o Presente da Educação Financeira.

É muito frequente os avós, os tios, os padrinhos, etc, dizerem aos pais um valor para que eles comprem o presente pois eles é que sabem o que os miúdos gostam. É nessa altura é que os pais entram em ação e estudam todos os catálogos e todas as promoções para conseguirem fazer grandes negócios e assim darem o máximo de presentes tirando assim o máximo partido das compras de Natal.

Vou partilhar aqui dois segredos. 😉

1º Segredo: Por norma as coisas custam aquilo que valem, pelo que se estão mais baratas é porque estão a valer menos. Para além disso, mais de 20 anos a negociar ensinaram-me que os grandes negócios não aparecem anunciados na televisão ou em letras garrafais dos catálogos de supermercado na nossa caixa de correio. Assim, gostava que arrumasses de uma vez por todas estes dois assuntos na tua cabeça:

– Se queres fazer grandes negócios investe no livro que te sugeri e esquece lá os negócios das compras de supermercado.

– O Natal é para gastar dinheiro e fazer as pessoas felizes naquilo que elas querem. Gasta o dinheiro que tens e desfruta a época. Tens o resto do ano para ganhar dinheiro.

2º Segredo: Não são os pais que sabem o que os miúdos gostam, os miúdos é que sabem o que os miúdos gostam. Muitos pais têm o hábito de tentar ajudar os filhos a escolherem os seus brinquedos, o que a meu ver faz pouco sentido. As crianças não necessitam que os ajudem a escolher, as crianças simplesmente necessitam que tenham paciência e lhes deem tempo para escolher.

Vamos a um exemplo prático com o que fiz há uns dias com o meu filho.

Tenho €50 disponíveis para o presente de Natal que a minha mãe lhe quer oferecer. Então escolho um dia para estar com o meu filho e ir com ele fazer as compras de Natal. Vou a um Centro Comercial, levo a avó para que ele a veja pagar e tenha a clara noção que o presente é dela e não meu.

1º Passo – O Orçamento

– Filho, a avó juntou €50,00 para te comprar um presente de Natal e és tu que vais escolhê-lo, já viste que fixe?

– Sim!!!

– Agora é importante que percebas que podes comprar um ou mais presentes. Imagina, podes comprar um presente que custa €50,00 ou podes comprar 10 presentes que custam €5,00 percebeste?

– Sim.

2º Passo – O Plano de Ataque

– Meu amor, aqui há muitas lojas que têm muitos brinquedos, por isso antes de fazeres a tua escolha vamos ver primeiro e vamos apontando o que gostas mais. Depois voltamos para ir comprar aquilo que tu decidiste comprar. Parece-te uma boa ideia?

– Sim.

 3º Passo – As Batalhas

1ª Batalha – O Dinheiro

– Pai olha! Lego Minecraft! Que caixa tão grande!

– Que fixe, gostas?

– Sim, é mesmo isto que eu quero!

– Quanto é que custa?

– 1 2 6 euros. – A partir do 100 os números são ditos dígito a dígito. 🙂

– Nós temos €50 para gastar, ou seja 5 0. 5 0 é menos que 1 2 6 não é?

– Sim, mas isto era mesmo aquilo que eu queria. É igual ao que o meu amigo tem…

– Pois, mas nós não temos €126, só temos €50…

– Mas eu queria tanto ter isto…

– Eu percebo-te querido, essa caixa é mesmo fixe mas nós não temos €126, só temos €50…

Silencio…

– Queres que te ajude a escolher coisas até €50?

– Não, deixa estar, eu escolho…

2ª Batalha – Os consultores

É nesta altura que mãe, avós, vendedoras das lojas, ou até mesmo perfeitos estralhos decidem oferecer os seus serviços de consultoria em compras de Natal e começarem a inundar a criança com sugestões, nomeadamente a dizer-lhe o que ela gosta, enquanto ela tenta escolher aquilo que realmente gosta.

Esta é a altura de respirar bem fundo e usar todos os recursos de calma dentro de mim para não desatar a dar uma ‘palmada na hora certa’ a todos os adultos que estão à minha volta.

Gostava então de convidar todos os adultos para a seguinte reflexão:

Então tu que dizes que o teu filho/neto/sobrinho é tão esperto, ele que topa tudo, ele que é um vivaço, achas mesmo que ele precisa da ajuda DE ALGUÉM QUE NÃO SABE DISTINGUIR OS PODERES UM INVIZIMAL ROCHA E DE UM INVIZIMAL FOGO PARA ESCOLHER UM BRINQUEDO??!!!

ACHAS??!!!

3ª Batalha – Os vendedores mais atrevidos

Por vezes algumas lojas têm alguns vendedores que com a ânsia de vender começam a ir um pouco para fora de pé.

É nesta altura que devemos fazer a Cara Podre n.º 35…

Se a cara 35 não resultar e o vendedor voltar a ir para fora de pé, está na altura de fazer a Cara Podre n.º 72…

Se mesmo com a Cara Podre n.º 72 o vendedor ou vendedora continuar a ir para fora de pé, então está na altura de fazer a pergunta mágica…

«Por acaso você não está a tentar manipular uma criança de seis anos, pois não?»

4ª Batalha – Quase que dá…

– Pai já escolhi! É esta que quero levar!

– Fixe! Quanto é que custa?

– Ahaaa… €28,72.

– Mas nós já só temos €25,01

– É quase…

– Pois é mas quase €28,72 não é €28,72… Quase que dava para comprar esse brinquedo…

– Mas eu quero mesmo este!!!

– Não dá meu querido.

– Vá lá!…

– Oh filho, o que queres que faça, se só tens €25,01 como é que achas que podes fazer para comprar isso?

– Vá lá pai, é mesmo isso que eu quero…

– Eu percebo meu amor, mas faltam aqui €3,71

– Eu sei, mas é mesmo isso que eu quero…

– O que é que achas que podes fazer para arranjares €3,71?

– Posso ir ao meu porquinho…

– Ok, então eu empresto-te agora os €3,71 e depois quando chegarmos a casa dás-me o dinheiro, combinado?

– Sim!!! Obrigado pai!!!

Eu não sou a pessoa mais brilhante do mundo e por isso é que adoro a matemática, pois é simples e objetiva.

1 + 1 é igual 2.

1 + 1 não é igual a quase 3.

Para todas as pessoas que por esta altura estão a pensar «coitadinha da criança, tanta coisa por €3,71, não acredito que ele chegue a casa e vá pedir ao filho que vá tirar €3,71 do seu porquinho…», eu apenas gostava de dizer:

Coitadinhos é dos adultos de 30, 40 e 50 anos que estão todos endividados e agem como miúdos pequenos a reclamar que a culpa não é deles mas sim dos bancos que os aliciaram com empréstimos e lhes mandavam para casa cheques crédito. Alegam eles e as associações de consumidores que houve falta de regulação na publicidade aos créditos. Falta de regulação da publicidade há nos anúncios para crianças e no fato de permitirem que o palhaço daquela cadeia de fast-food vá aos Jardins de Infância, agora no caso dos créditos ao consumo o que houve e há, é uma enorme falta de educação financeira.

Para resumir uma história longa, naquele dia dedicado às compras de Natal ele recebeu dois presentes da avó e vários presentes do pai.

O Presente da Educação Financeira

O Presente de saber para que é que serve a matemática e o quanto lhe dá jeito saber fazer contas, incluindo os números negativos.

O Presente de fazer as suas próprias escolhas e tomar as suas próprias decisões.

O Presente de aprender que ao contrário do que as pessoas dizem o dinheiro não estica, pelo que para o colocar num lado temos de tirá-lo do outro.

O Presente de apender a importância da prudência e da calma, pois apesar de eu lhe ter dito que iríamos ver primeiro para e depois voltarmos para comprar o que tivesse escolhido, ele decidiu comprar logo duas coisas que viu na segunda e na terceira loja, terminando assim as suas compras de Natal. Apesar de ter sido aconselhado a ir ver mais lojas ele decidiu comprar logo. Tal como eu esperava quando fomos ao hipermercado comprar comida ele viu uns brinquedos que ainda gostava mais e eram mais baratos. Eu poderia simplesmente não ter feito a compra e ter ido com ele primeiro ao hipermercado mas aí não lhe tinha dado uma série de presentes que referi atrás, bem como o presente de assumir a responsabilidade pela decisão tomada.

Correu tudo sem stress e foi um dia muito bem passado onde nós os dois nos divertimos imenso. Tudo isto porque este ano eu escolhi dar ao meu filho o poder de escolher, fomentado os seus valores de liberdade e responsabilidade. Este Natal oferece ao teu filho liberdade e responsabilidade de também ele fazer as suas compras de Natal.

Esta foi a minha contribuição desta semana para a Comunidade Pais Mais Ligados, agora quero ver a tua! Aproveita este artigo para manifestares a tua opinião ou até mesmo para abrires um debate sobre o tema. Acredito profundamente que te sirvo melhor se usar o meu tempo e energia a criar novos artigos que te ajudem a tornar numa Mãe ou Pai Mais Ligado. Por este motivo, não entrarei em debates nem poderei a responder aos comentários, mas eu leio todos e ficarei muito feliz em ler o teu.

Se este artigo fez sentido para ti ou achares que pode ajudar alguém, por favor partilha.

Com amor,

António

Gostou deste artigo? Então comente, partilhe e seja o primeiro a receber todos os artigos da comunidade Pais mais Ligados, inscreva-se com o seu nome e e-mail para receber todos os artigos e novidades da comunidade.

Um comentário no post “Este ano oferece ao teu filho a liberdade, o poder e a responsabilidade de ser ele a fazer as suas compras de Natal.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.