Os 7 erros mais comuns na produção de Leite Materno.

Quando a maioria das mulheres começa a amamentar é comum pesquisarem soluções para aumentar a produção de leite bem como a sua qualidade. Às vezes o foco nessas pesquisas e estratégias é tão grande que acabam por descurar o básico, pelo que neste artigo vamos abordar os 7 erros na produção de Leite Materno mais comuns.

1 – Não beberes água suficiente

Parece básico, não é? Pois, talvez por ser tão básico é que a maioria das mulheres se esquece de fazê-lo.

Se estás a dar de mamar teoricamente irás produzir entre 700 a 800ml de leite por dia, sendo que a água é o nutriente mais abundante do Leite Materno e como essa água virá do teu corpo, se não estás a beber água suficiente poderás entrar em processo de desidratação. Um corpo em processo de desidratação tende a defender-se ‘desligando’ as actividades que provocam um maior consumo de água e a produção de leite é uma delas.

Experimenta beber um copo de água sempre que te preparares para amamentar e após uma semana volta cá e coloca nos comentários o que de diferente aconteceu. 😉

2 – Descurar a nutrição

Este ponto vem no seguimento do primeiro. Se queres produzir um leite de melhor qualidade deves ter matérias primas da melhor qualidade.

Tem em mente que cada refeição que fazes agora não serve apenas para te alimentar mas também como matéria prima do leite que irás produzir, pelo que é muito importante que estejas consciente do que estás a comer.

Esquece lá a teoria do «Tens de comer muito porque agora estás a alimentar dois.» e aproveita esta fase da vida para te dedicares ao estudo da nutrição e de uma alimentação saudável, pois mais importante que comer muito é comer bem.

Podes e deves explorar mais este tema lendo o artigo «Será que dar de mamar é assim tão importante, ou simplesmente voltou a estar na moda?» [ Link ]

3 – Acreditares que não consegues produzir leite suficiente

A mente tem um efeito muito poderoso no nosso corpo sobretudo porque o nosso inconsciente não consegue distinguir muito bem a verdade da mentira. Assim, aquilo que tu conscientemente acreditares tenderá a ser a verdade para o teu inconsciente e aquilo que é verdade para o teu inconsciente torna-se a verdade para o teu corpo. Essa é uma das razões porque a forma mais rápida e fácil de nos  colocarmos em estados de alta performance é usando técnicas de Programação Neuro-linguística ou de Hipnose uma vez que essas técnicas acedem ao nosso inconsciente e colocam-no a trabalhar a nosso favor.

Tendo isto por base, é do teu interesse acreditares que o teu corpo funciona em pleno e irá produzir todo o leite que o teu bebé necessitar. Afinal de contas tu sabes naturalmente que o corpo de um mamífero (como é por exemplo o ser humano) capaz de gerar uma cria também é perfeitamente capaz de alimentá-lo.

Assim, a um nível inconsciente e automático o teu corpo está preparado para produzir a quantidade de leite que teu filho precisa e com a composição adequada especificamente para ele de acordo com o que está a necessitar precisamente nesse momento. Isto é sempre verdadeiro excepto quando tu escolhes introduzir novas crenças que te dizem e fazem acreditar que não tens essa capacidade. Só que isso não é de todo verdade e não passa de uma armadilha da mente que tu podes desmontar muito facilmente, basta que passes a acreditar naquilo que é natural e verdade, ou seja, que o teu corpo está preparado para produzir a quantidade de leite que teu filho precisa e com a composição adequada especificamente para ele de acordo com o que está a necessitar precisamente nesse momento.

Repete a seguinte frase 10 vezes por dia:

“O meu corpo está preparado para produzir a quantidade de leite que meu filho precisa, com a composição adequada especificamente para ele de acordo com o que está a necessitar precisamente nesse momento. O meu corpo produz eficazmente toda a quantidade de leite que o meu filho necessita, na qualidade ideal para ele.”

Percebeste o que acabei de fazer? Óptimo! Então lê o paragrafo acima todos os dias dez vezes, independentemente da quantidade de leite que tenhas e daqui a um mês volta cá e coloca nos comentários como está a correr esse leite. 😉  

Um dos maiores segredos da amamentação é deixares o teu bebé mamar sempre que quiser e pelo tempo que quiser, sem nenhum horário nem intermediário. Lembra-te que leite materno é o alimento e a água do teu bebé, portanto é natural que ele queira mamar muitas vezes. Às vezes parece que só saiu uma aguinha de nada, não te preocupes pois é natural, quem comanda o teu leite é o teu bebé e o mais provável é que ele simplesmente só esteja com sede nesse momento. Se ele estiver realmente com fome, o mais provável será continuar a mamar até que tu comeces a entregar um leite mais denso.

Confia nele, confia em ti e lembra-te que a natureza sabe o que faz. 😉

4 – Uso de bicos artificiais

Algumas mães optam por amamentar com o bico de silicone acreditando que isso irá facilitar a pega, outras optam por intercalar o peito com o biberão porque acham que o bebé está a mamar pouco. 

Apesar da intenção ser boa, beber leite através desses bicos artificiais é muito mais fácil que mamar da mama onde o bebé tem de fazer força para sugar. Assim, os bicos artificiais acabam tornar ainda mais difícil para o bebê aprender a mamar, sendo que se lhe apresentam uma forma muito mais fácil de obter comida (bicos artificiais), é natural que ele reclame e até rejeite quando lhe apresentam uma forma mais difícil de obter comida (mama). 

Pensa o seguinte, tu sabes que usar as escadas é muito mais saudável que usar o elevador, certo? Mas diz-me lá como é que te sentes quando chegas ao pé de um elevador e vês o aviso de «AVARIADO»?

5 – Ter receio de amamentar em público 

Ok… Vamos lá a ver se nos entendemos…

Se estives num concerto com 50 mil pessoas e decidires tirar a T-shirt e pores as tuas mamocas ao leu és uma granda maluca e é muito cool…

Se estiveres na praia em topless em frente a centenas ou milhares de pessoas é normal e só demonstra que és uma mulher bem resolvida e que te sentes confortável com o teu corpo.

Se fores convidada por um fotografo para fazeres uma sessão de nu integral ou parcial, centenas, milhares ou milhões de pessoas irão dar-te os parabéns e dizer que é arte.

Se colocas a mamoca para fora para alimentares o teu filho em frente a dez ou vinte pessoas irão dizer que estás a ter falta de pudor? 

É pá, por amor da santa! Poupem-me! 

As tuas mamas estão cheias pelo que o mais provável é que estejam mais bonitas que nunca e se isso incomoda as pessoas elas têm sempre opção de olhar para outro lado, já o teu bebé esfomeado não tem outra hipótese de ser alimentado. Se estás mais preocupada com o que os outros pensam do que em alimentar o teu filho, é natural que depois sintas dificuldade em continuar a produzir o leite que o teu bebé necessita. Esquece lá os pudores e amamenta o teu filho sempre que ele queira, independentemente do locar onde estiveres. Se alguém se achar incomodado é porque tem algumas coisinhas na sua cabecinha por resolver. Prometo que um dia ainda escrevo um artigo sobre essas coisinhas… 😉

6 – Cansaço e stress

É natural que estejas cansada, nem que seja por falta de sono pois afinal de contas é natural que o teu bebé acorde durante a noite para mamar e se ele acorda, tu acordas.  – Podes explorar mais este assunto lendo o artigo «O meu bebé dorme mal de noite. O que fazer?» [ Link ]

Aproveita para fazeres o máximo de sestas possíveis, incluindo quando estás a dar de mamar. Uma forma muito benéfica de dares de mamar é estares deitada com o tronco despido e o bebé deitado no teu peito. Deixa a natureza seguir o seu curso e se tiveres sono aproveita e dorme. Esta é uma vantagem da prática da Cama Compartilhada e por essa razão sugiro-te vivamente que leias com muita atenção os artigos «Devem os filhos dormir com os pais?» Parte 1 [ Link ] e Parte 2 [ Link ], bem como o artigo «Como praticar Cama Compartilhada com segurança». [ Link ]

Cria uma equipa de apoio ao teu pós-parto para te ajudar a cuidar do teu bebé enquanto tu descansas um pouco. Pode ser a mãe, a sogra, as amigas, as vizinhas, as primas, as colegas, etc. Nas tribos Índias e Africanas, bem como de outras partes do mundo os bebés tendem a ser criados pela comunidade e não apenas pela mãe, pensa nisso.

Tem em mente que é a tua equipa e tu és a treinadora. Como tal quem define as regras do jogo és tu e às vezes um bom treinador tem de optar por convocar um jogador menos talentoso mas que faça aquilo que lhe é pedido em detrimento de uma super-estrela que só faz aquilo que acha bem e tem muita dificuldade em receber indicações. Como no pós-parto é natural que te vejas rodeada de ‘especialistas’ em tudo e mais alguma coisa é importante todos terem bem presente que a mãe és tu, pelo que quem estiver disponível para entrar neste jogo terá de estar disponível para jogá-lo de acordo com as tuas regras, pois afinal de contas o jogo é teu.

Como o jogo é teu e a necessidade também, sugiro que faças esta selecção de jogadores sempre com muito carinho e diplomacia.

7 – Ambiente de amamentação

Locais com barulho, pessoas a conversar contigo, televisões ligadas, tablets, smarphones, etc, não são os melhores ingredientes de um bom ambiente para quem está a amamentar.

Dar de mamar é um acto de amor e um acto fisiológico bastante complexo pois nesse momento há uma série de comunicações subtis entre ti e o teu bebé que estão a acontecer. As tuas hormonas estão nesse momento em ebulição, sendo que umas com objectivos mais fisiológicos e outras mais afectivos. A ocitocina, por exemplo, funciona nos dois níveis uma vez que é responsável pela descida do leite, bem como por promover uma sensação de bem-estar e pensamentos amorosos de empatia e apego. Quando o teu bebé mama ele comunica com o teu corpo e ‘diz-lhe o que precisa’ e como em tudo na vida, dependendo do ambiente envolvente isso pode ser abafado ou potenciado.

Deves criar uma ou várias zonas de amamentação (em casa, num jardim, etc) e a minha sugestão é que encares o acto de amamentar como um ritual, um momento só vosso onde tu estás cem por cento focada em tudo o que está a acontecer nesse momento. Mesmo que estejas no meio da rua, num shopping, etc, deves procurar criar um ambiente de amamentação. Existem uma série de estratégias mentais e de fisiologia muito eficazes para criares rapidamente um bom ambiente de amamentação.

Também podes aproveitar cada vez que amamentas para praticares Mindfulness. Vais ver que ao fazeres isso tornar-te-ás numa mãe mais consciente, mais serena, mais atenta, mais desperta e sobretudo mais ligada.

Experimenta então recolheres-te num local com um ambiente sereno onde saberás que não irás ser incomodada. Caso isso não seja possível por estares fora de casa, usa a tua fisiologia e recolhe-te para o teu bebé. Foca toda a tua atenção nele e o mais provável será que as pessoas se sintam constrangidas em vos interromperem. Caso exista essa falta de bom senso opta simplesmente por ignorar quem te aborda e mantém-te concentrada no teu bebé.

Agora canaliza a tua confiança e paciência e com mente de principiante presta atenção a tudo o que está a acontecer no momento. Fica atenta à tua respiração, à do teu bebé, experimenta alinhar a tua respiração com a dele, fica atenta ao seu cheiro, aos seus movimentos, à sua boca e língua a tocarem no teu mamilo, ao leite a sair, aos teus pés a sentirem os sapatos ou o próprio chão e a todas as centenas de estímulos a que tu estás sujeita nesse momento e que por norma não te dás conta.

Pratica a tua atenção plena a todas as sensações e pensamentos que estão a acontecer no momento independentemente de serem boas ou menos boas, apenas observa com uma mente curiosa e atenta, depois aceita tudo sem julgamentos encarando todas essas sensações e pensamentos como se fossem nuvens no céu. Observa, contempla e deixa-as ir, observa-as a ir, de uma forma serena e sem esforço.

Esta foi a minha contribuição de hoje para a Comunidade Pais Mais Ligados, agora quero ver a tua! Aproveita este artigo para manifestares a tua opinião ou até mesmo para abrires um debate sobre o tema. Se este artigo fez sentido para ti e achares que possa ajudar alguém, por favor partilha.

Com amor,

António

PS: Este artigo contou com a preciosa ajuda da Sónia Anjos, Hipnoterapeuta Clínica, Instrutora Certificada e Co-Autora do Método HypnoPregnancy and Birth e Master Coach. Poderás seguir o seu trabalho aqui: [Link]

Imagem: seeseehundhund

Gostou deste artigo? Então comente, partilhe e seja o primeiro a receber todos os artigos da comunidade Pais mais Ligados, inscreva-se com o seu nome e e-mail para receber todos os artigos e novidades da comunidade.