Devemos deixar os bebés chorar até que aprendam a lição?

De certeza que já ouviste dizer que os papás agora estão a mimar muito os filhos pois há várias teorias que defendem que o ideal é deixar os bebés chorar para que aprendam a lição, ou seja, não atendê-los no momento da rabugice. Existem porem estudos que indicam que deixar um bebé (0 a 3 anos) chorar até que se cale por si pode ser muito prejudicial para o seu desenvolvimento emocional.

Sem querer entrar em termos muito técnicos, existe uma zona do cérebro encarregada de controlar o stress e a ansiedade. Se durante esta etapa a criança estiver exposta a doses elevadas de stress, a sua capacidade de o gerir poderá ficar comprometida, o que significa um jovem e um adulto com menos capacidade adaptação a momentos stressantes. Ora tendo em consideração que hoje em dia o stress está em praticamente todo lado, não me parece boa ideia usarmos estratégias que irão debilitar a capacidade futura de viver e gerir eventos stressantes.

Então e o que provoca mais stress no bebé? Basicamente é sentir-se desprotegido, chorar e não encontrar consolo.

Muitos pais querem treinar os filhos para que dormam a noite toda, algo que as crianças simplesmente não estão programadas para tal. É comum os pais insistirem para que eles durmam o máximo possível, sendo que para isso deixam o bebé chorar sem parar até que durma por esgotamento. É importante que se perceba que a criança não dormiu porque aprendeu a lição, ela adormeceu simplesmente porque estava exausta e se aprendeu alguma coisa foi que está sozinha e não tem ninguém com quem realmente contar. Não me parece uma lição lá muito interessante de se aprender…

Um bebé que é submetido a grandes doses de stress nos primeiros 3 anos de vida tende a ser uma criança mais desconfiada, medrosa, com níveis de autoestima baixos, com dificuldades em gerir as suas emoções, mais ansiosa e menos cooperante.

Então isso quer dizer que tenho de ir sempre atender sempre que o bebé chora?

Sim tens. Eu sei que dá trabalho mas é isso que os filhos dão, trabalho. Mas não te preocupes pois só dão mais trabalho nos primeiros 40 anos de vida, a partir dai a coisa torna-se mais fácil. 🙂

Vamos lá então por partes. Em primeiro lugar deves ter em mente que os bebés só têm o choro como meio de comunicação, pelo que isso fá-los funcionar como os alarmes de fumo, ou seja disparam à mínima coisa, seja porque o local está a arder, seja porque alguém estava só a fumar. Às vezes, basta um arroto, um peidinho, um desconforto na barriga, terem espaço a mais, terem as mãos longe, a sombra de um pássaro, de um brinquedo, as luzes de um carro, um barulho estranho, enfim, há tanta coisa diferente da barriga da mãe onde era tudo tão seguro, pequeno e rotineiro que cá fora tudo mete medo e desconforto, portanto o mais normal é chorar. A isto tudo ainda temos de somar as necessidades fisiológicas mais básicas, como frio, calor, fome, sede, dores, xixi, cocó, etc.

Claro que todo este choro e solicitações por parte da criança podem tornar-se extremamente cansativo para os pais, razão pela qual sugiro que se aborde o tema em três frentes distintas:

1ª) Evitar que o bebé chore.

Em tudo na vida é muito mais fácil, barato e eficaz evitar um problema do que resolvê-lo e na parentalidade também é assim. Na prática só temos de antecipar as possíveis razões para o choro. Nesse sentido, a comida e a bebida devem ser providas de forma regular mas respeitando a vontade da criança (não te preocupes que o teu filho está geneticamente programado para matar irmão se não houver comida suficiente para os dois, portanto não vale a pena fazeres um drama assim tão grande se não lhe apetecer comer esta ou aquela refeição), a temperatura e a roupa devem estar confortáveis e sugiro que o ambiente da criança seja o mais parecido com a barriga da mãe, razão pela qual sou com grande fã do sling e de enrolar os bebés. – Podes explorar este tema lendo o seguinte artigo: [ Link ] 

 2ª) Acaba com o choro rapidamente.

Por norma o sling e enrolar o bebé costumam terminar com o choro muito rapidamente, mas se isso não acontecer existem uma série de técnicas muito eficazes para fazeres com que a criança pare de chorar muito rapidamente. É importante que percebas que para os bebés o ato de chorar funciona como um reflexo, a boa notícia é que o ato de parar de chorar também funciona da mesma forma, só tens de saber carregar no ‘botão’ certo e verás que a criança irá parar de chorar tão rápido como começou. Poderás ver uma das minhas técnicas favoritas aqui.

3ª) Considera dormir com o teu filho.

Dormir com o filho é uma decisão muito pessoal que o casal deve tomar. Eu tenho um artigo escrito sobre co-sleeping [ Link ] mas aqui a única coisa que agora irei mensionar relativamente a isso é que para além de saber tão bem dormir com os nossos filhos, é muito mais prático do que estares a levantar-te a meio da noite para ires ao quarto que fica do outro lado da casa ver o que se passa, resolver a questão, voltar a cama, puxar o lençol para cima, ouvir outro choro, levantar novamente para ires ao quarto que fica do outro lado da casa ver o que se passa, resolver a questão, voltar a cama, puxar o lençol para cima, ouvir outro choro, levantar novamente para ires ao quarto que fica do outro lado da casa ver o que se passa, resolver a questão, voltar a cama, puxar o lençol para cima, ouvir outro choro… Bem, acho que já percebeste a ideia. 

Então e a intimidade do casal? – Uma forma elegante de se dizer «Então e o sexo?»

Pois, se escolheste o co-sleeping podemos partir facilmente do princípio que o sexo na cama com bebé não irá acontecer, portanto tens duas opções:

Opção Brahmáchárya: Esqueces o sexo enquanto o teu filho dormir na vossa cama. Aproveita para meditar, treinar o auto-controlo e procurar atingir o nirvana. 

Opção Tântrica: Esqueces o sexo no quarto enquanto o teu filho dormir na vossa cama. Aproveita para meditar, procurar atingir o samadhi, fazer amor na cozinha, na casa de banho, na sala, no hall, na varanda (se der), enfim, acho que percebeste a ideia. 😉

Esta foi a minha contribuição de hoje para a Comunidade Pais Mais Ligados, agora quero ver a tua! Aproveita este artigo para manifestares a tua opinião ou até mesmo para abrires um debate sobre o tema. Acredito profundamente que te sirvo melhor se usar o meu tempo e energia a criar novos artigos que te ajudem a tornar numa Mãe ou Pai Mais Ligado. Por este motivo, não entrarei em debates nem poderei a responder aos comentários, mas eu leio todos e ficarei muito feliz em ler o teu. Se este artigo fez sentido para ti, por favor partilha.

Com amor,

António

Gostou deste artigo? Então comente, partilhe e seja o primeiro a receber todos os artigos da comunidade Pais mais Ligados, inscreva-se com o seu nome e e-mail para receber todos os artigos e novidades da comunidade.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.