Escolher um Coach ou um Mentor está a tornar-se cada vez mais uma resolução de ano novo. Isto acontece porque cada vez mais pessoas observam que o que costuma acontecer é a formular desejos nesta época, implementar algumas mudanças com muita intensidade na primeira semana do ano, moderar essa intensidade na segunda semana e na terceira regressar à vida que tinha no ano anterior.

Mais importante que comer as doze passas e fazer os doze desejos é criar uma visão e desenhar um plano que te leva de onde tu estás até onde tu queres ir.

Vou partilhar o meu exemplo pessoal, 2018 foi um ano muito desafiante para mim. Tinha acabado de sair de uma situação muito grave devido a um acidente que tive e que por erros de vários médicos fez com que quase tivesse morrido e me obrigou passar metade de 2017 hospitalizado e os primeiros quatro meses de 2018 a recuperar uma forma e performance física cujo prognóstico era nunca mais voltar a existir.

Em 2017 escolhi aceitar o diagnóstico mas recusei-me a aceitar o prognóstico e quando tudo parecia finalmente ter entrado nos eixos a minha mãe ficou muito doente com um prognóstico que eu simplesmente não quis aceitar.


Em 2018 voltei a aceitar um diagnóstico e a recusar o prognóstico pelo que escolhi abdicar de quase tudo a nível profissional para cuidar da minha mãe de forma a que o prognóstico que lhe havia sido indicado não acontecesse.
Para mim valeu todo o meu esforço e todas as perdas financeiras e profissionais que daí advieram, pois aconteceu o mais importante que foi o restabelecimento da sua saúde e independência, algo aparentemente impossível.


Acredito profundamente que a minha vida financeira e profissional só não colapsou porque tinha criado uma visão e feito um plano para o ano e foi graças a esse plano que ia conseguindo voltar ao caminho que desenhei para mim.


Criar uma visão e desenhar um plano faz com que construas um caminho, uma estrada que te leva de onde tu estás até onde tu queres ir.


A visão funciona como um farol que te ilumina e te dá alento nas noites escuras e duras de tempestade e o plano é a estrada que tu sabes que deves de percorrer. 


Mesmo quando a vida te abalroa para fora dessa estrada e te obriga a andar fora do caminho que desenhaste para ti, sabes que criaste esse caminho, sabes que ele está lá e como ele está lá sabes que é para lá que deves voltar, não importa o quanto for difícil, o quanto as vicissitudes da vida dificultem esse regresso. O que interessa é que tu sabes que o caminho que criastes está lá e é para lá que deves te dirigir, independentemente do quanto difícil e do quanto demorado for voltares ao teu caminho novamente. 


Para quem não tem um destino qualquer direcção lhe serve.

O convite que tenho hoje para ti é que aproveites a festa de hoje e que vás para além das doze passas e dos doze desejos.

Se ainda não o fizeste aproveita os próximos dias estes dias para reflectir profundamente o que foi este ano para ti, qual é a visão que queres para a tua vida e qual o caminho que queres trilhar no próximo ano.

A minha sugestão é que invistas num bom Coach com que te identifiques, uma vez que este terá tecnologias disponíveis para te ajudar a clarificares a visão que queres para a tua vida, escolher o caminho que queres traçar e desenhar os passos que tu vais queres traçar rumo à tua visão.

Caso não queiras optar por um Coach, podes sempre encontrar um Mentor.

Muitas pessoas que confundem um Coach com um Mentor.

Um Coach é alguém que tem ao seu dispor tecnologias que te ajudam a passar do ponto (conhecido por Ponto A) onde te encontras para o estado de Protagonista de forma a chegares ao ponto onde tu queres (conhecido por Ponto B)

Um bom Coach ajuda-te a criares uma visão muito clara e específica do teu Ponto B e explora contigo os caminhos quase infinitos que te podem levar ao teu destino.

Após teres o teu Ponto A bem definido, a tua visão bem clara e o ou os caminhos escolhidos, o trabalho do teu coach passa agora por utilizar tecnologias que ajustem a tua mente a um estado onde tu és o protagonista da tua vida, tens foco, tens um plano, entras em acção, estás em constante auto-análise uma vez que agora vides num Estado de Melhoria Contínua o que te irá gerar os resultados cujo somatório te levarão ao Ponto B, a tua Grande Visão.

Já um Mentor é alguém que já tem os resultados, habilidades e experiência de algo que tu queres ter, pelo que o seu propósito é passá-los para ti.

Assim, enquanto que uma das principais ferramentas do Coach é fazer Perguntas Poderosas de forma a levar-te a encontrar respostas transformadoras, o Mentor tende a dar-te respostas baseadas na sua experiência e nos seus resultados, os seus principais activos.

Deves escolher um Coach ou um Mentor?

Depende da situação, do que tu queres e do caminho que queres percorrer.

Se queres ter tudo aquilo que aquela pessoa tem e percorrer o caminho que ela percorreu (evitando os erros que ela cometeu) então talvez o Mentor seja o mais indicado para o teu caso.

Se por outro lado queres algo muito específico, fazê-lo à tua maneira e de uma forma que seja totalmente congruente e alinhada com os teus valores, então talvez o Coach seja o mais indicado para ti.

O papel do Coach é dar-te tecnologias que te ajudarem a encontrar as soluções ideais para ti e por vezes uma dessas soluções passa por encontrares o Mentor ideal para ti numa área específica da tua vida.

Independentemente daquilo que tu escolhas, convido-te mesmo a procurares uma estrutura que te apoie de forma a que construas um ano épico.

E mesmo que a vida tenha planos diferentes para ti para este ano, aproveita e aprende com o que a vida te entregar e volta ao teu caminho mais forte, mais sábio e mais resiliente que nunca.

Este ano é teu, faz dele aquilo que tu quiseres.

Avança!

António

(Visto 15 vezes, 4.646 )