A intenção deste artigo é ajudar-te a clarificar o que é a Alta Performance, pois este conceito ainda é muito estranho para a maioria das pessoas e o ‘ruído’ que existe à volta do mesmo também não ajuda em nada, muito pelo contrário.

A Performance, ou Desempenho usando a terminologia portuguesa, é o resultado gerado por um determinado comportamento.

Na prática funciona da seguinte forma, ao nos comportarmos de determinada forma geramos um determinado resultado e isso é a nossa Performance, ou o nosso Desempenho.

Quando falamos em Alta Performance estamos a falar em resultados a cima da média, acima dos padrões estabelecidos.

Os padrões estabelecidos podem ser externos ou internos.

Os padrões externos são as pessoas que têm resultados consistentes relativamente aos resultados que tu queres atingir. Dentro desse grupo de pessoas existem algumas que obtêm resultados muito acima da média dos outros, esses são os resultados de Alta Performance.

Pessoas que atingem resultados de Alta Performance tendem a operar em Alta Performance e isso pode levar-nos a tentar imitar essas pessoas, ou seja, fazer o que elas fazem na esperança de atingir o resultados que elas têm.

No entanto isso pode ser uma análise superficial e fazer-nos passar a vida a correr para chegar a lado nenhum.

A razão é simples, nós não somos iguais e portanto por mais que um tigre imite uma chita ele nunca irá atingir 100km/h, muito menos ter a sua capacidade de aceleração e sobretudo as suas abruptas mudanças de direcção, uma vez que não está fisiologicamente preparado para isso.

Transpondo para a raça humana, todos nós somos diferentes. Temos por exemplo, níveis hormonais diferentes.

Aqui fica um exemplo simples e transversal tanto no mundo do desporto, como no dos negócios.

Se uma pessoa tem níveis de testosterona superiores à média, ela tenderá a ter naturalmente uma performance desportiva melhor, uma vez que terá mais força, maior explosão, recupera melhor, etc.

Ora o facto desse atleta poder desempenhar melhor do que um atleta com níveis de testosterona mais baixos, não significa que ele esteja em Alta Performance. Ele pode estar na sua performance normal, ou até em baixa performance devido ao facto de não ter um estímulo suficiente que o estimule a performar melhor.

Por outro lado, o atleta com níveis medianos de produção de testosterona pode estar a operar em Alta Performance uma vez que pode ter adoptado uma série de estratégias que o levaram a desempenhar acima dos seus padrões normais.

Inclusivamente ele até pode ter adoptado uma série de estratégias para aumentar os níveis de testosterona nesse momento. Essas estratégias podem ser ilegais e pouco ecológicas como os esteróides, ou podem ser legais e bastante ecológicas como determinado uso da Fisiologia, Exercícios Respiratórios, Exercícios de Visualização, Alimentação, Suplementação, Hipnose, Programação Neurolinguística, etc.

Esta é uma das razões que levam atletas a contratarem um Coach de Alta Performance.

Podemos usar o mesmo exemplo da produção de testosterona no mundo dos negócios.

Se uma pessoa tem níveis de testosterona superiores à média ela tenderá a ter naturalmente um desempenho melhor, uma vez que da mesma forma que índices mais elevados de testosterona ajudam no aumento da capacidade para transportar uma maior quantidade de oxigénio para os músculos, também o cérebro tende a ser mais oxigenado.

Outra das inúmeras vantagens da testosterona é o facto desta ajudar a reduzir a acção do cortisol o que tende a fazer com que a pessoa suporte melhor o stresse.

A testosterona ajuda nas funções mentais, manutenção do bom humor e sensação de bem-estar.

Por outro lado, níveis mais elevados de testosterona elevam o Estado de Dominância e uma pessoa com um Estado de Dominância mais elevado, quando bem trabalhado, tende a performar muito melhor, pois tende a tomar a liderança numa negociação, na resolução de desafios, etc.

Ora o facto desse Gestor / Vendedor / Advogado / Empreendedor, etc. poder desempenhar melhor do que um colega com níveis de testosterona mais baixos, não significa que ele esteja em Alta Performance. Ele pode estar na sua performance normal, ou até em baixa performance devido ao facto de não ter um estímulo esterno suficiente que o estimule a performar melhor.

Link Patrocinado: Reforce o seu Sistema Imunitário. [Clique aqui.]

Por outro lado, a pessoa (sim porque este exemplo da testosterona é também para mulheres) com níveis medianos de produção de testosterona pode estar a operar em Alta Performance uma vez que pode ter adoptado uma série de estratégias que o levaram a desempenhar acima dos seus padrões normais.

Tal como o atleta ele ou ela pode estar a ter a ajuda de um Coach de Alta Performance e estar a adoptar uma série de estratégias para aumentar os níveis de testosterona nesse momento.

Operar em Alta Performance acontece não quando tu desempenhas melhor que os outros, mas sim quando estás a desempenhar acima do teu desempenho médio.

Tendo isto por base, podes olhar para os padrões externos para te inspirares, sendo que o interessante é olhares para os teus resultados médios e aprimorar aprendizagens, estratégias e comportamentos para assim operares acima dessa média.

Ao estares a operar acima da tua média estás em Alta Performance.

Porque é que imitar High Performers pode não ser a melhor estratégia para te levar a um Estado de Alta Performance?

Porque fazer aquilo que naturalmente fácil para a pessoa que estás a imitar e que é naturalmente difícil para ti pode até vir a funcionar, mas demora muito mais tempo, despende muito mais recursos e é muito mais desgastante, o que aumenta as possibilidades de desistência.

Na prática é querer virar uma pessoa em Alta Performance utilizando uma estratégia de baixa performance.

Não faz muito sentido, pois não?

Não é por a Internet e as redes sociais estarem inundadas de dicas de Alta Performance, que aparentemente até possam fazer algum sentido numa análise mais superficial, que quando aplicadas resultem em ganhos relevantes de desempenho.

O caminho mais interessante que conheço para melhorares o teu desempenho vai no sentido de criares as condições que te levem a operar mais facilmente em Alta Performance.

Estudar Alta Performance é, na prática, estudar aprendizagens, estratégias e comportamentos que te levam a resultados acima da média, acima do padrão.

Quais resultados? Aqueles que tu quiseres ter. Tal como indiquei acima pode ser a nível desportivo, financeiro, empresarial (cada vez mais se fala em vender em Alta Performance), emocional, relacional e sobretudo de felicidade, pois no fim de contas é isso que interessa.

Eu gosto muito de associar à Alta Performance à filosofia de obter o máximo resultado utilizando o mínimo de recursos possíveis. Os recursos podem ser tempo, dinheiro, esforço, treino, trabalho, etc.

Aqui entre nós, eu não conheço ninguém que viva 24h por dia em Alta Performance, o que eu conheço são estados de Alta Performance e comportamentos, hábitos, estratégias e práticas que levam a estados de Alta Performance.

Nesse sentido expressões como «Viver em alta Performance» fazem pouco sentido para mim, já uma Filosofia de Alta Performance é algo que me interessa bastante.

Uma filosofia de Alta Performance tem por base pretender operar a cima da média e isso tem a ver com superação, sobretudo com autossuperação.

Imagina o seguinte, tens por norma um resultado, que tal como o nome indica é o resultado de um ou vários comportamentos, que são o resultado de hábitos, estratégias, práticas, pensamentos, etc. e tu queres que esse resultado que em média é X seja aumentado.

Ao teres um resultado acima dessa média, significa que operaste em Alta Performance.

Então se o que tu queres é operar acima da média, a média e as probabilidades não são coisas que se deva dar assim tanta importância.

Quando tens uma filosofia de Alta Performance, é-te pouco relevante quantas pessoas já atingiram o resultado que tu queres atingir, ou quais são as probabilidades de tu atingires esse resultado.

Quando tens uma filosofia de Alta Performance tens uma estrutura de pensamento diferente.

Tu tendes a pensar mais ou menos da seguinte forma:

Eu quero ter aquele resultado.

Quem é que já atingiu aquele resultado?

Quais é que foram os hábitos, estratégias, práticas, pensamentos, etc que essa pessoa utilizou?

Foram estes? Muito bem, então vamos criar as condições que me permitam modelá-los.

Se quiseres viver de uma forma ecológica e tranquila fazes a seguinte pergunta:

Estes  hábitos, estratégias, práticas, pensamentos, etc. estão de acordo com os meus valores?

Se sim, perfeito. Se não, então é questionar «será que estes meus valores me servem e me fazem bem, ou são apenas para validar as crenças que tenho?»

A partir daqui ou mudas alguns valores ou então fazes outras perguntas poderosas, do género, «que outra pessoa já atingiu os resultados que quero atingir e que partilha dos mesmos valores que eu?», ou então «Como é que eu poderei atingir os resultados que quero atingir mantendo os meus valores?»

É isto que eu gosto muito no coaching, são as constantes perguntas poderosas cujo objectivo é colocar-me no caminho do resultado que eu quero atingir.

Sabendo que existem milhões de caminhos para se chegar a um lado, se refinarmos as perguntas vamos encontrar um caminho que nos seja prazeroso e em profundo alinhamento connosco próprios.

Repara que aqui não se foca em «há poucas pessoas que conseguiram isto», ou «a probabilidade de isto acontecer é muito reduzida», etc.

Afinal de contas sempre que tu não tentas algo porque a probabilidade de resultar é reduzida estás a contribuir para essa estatística e assim a aumentar essa possibilidade, mantendo assim cada vez mais reduzido o número de pessoas que pensou em fazer isso mas não o fez porque era demasiado difícil e/ou muito pouco provável.

Aqui para nós…

Tu não precisas que seja provável, tu só precisas de conseguir. 😉

Avança!

António

(Visto 63 vezes, 22.014 )